Página Inicial

Notícias

Faltam carros novos no mercado

Categoria: Economia
Publicado em 06 de outubro de 2021

Após quedas em setembro, entidade revisa para baixo previsões para automóveis e ônibus, mas eleva expectativa para comerciais leves e caminhões. Após o fechamento de setembro com falta de carros a entregar nas concessionárias e queda nas vendas, a Fenabrave, que reúne os distribuidores autorizados de veículos, decidiu revisar para baixo sua expectativa geral de mercado para 2021, apresentando na segunda-feira, 4, a terceira projeção deste ano. A última revisão foi feita em julho e agora a entidade puxou significativamente para baixo as estimativas de vendas de automóveis e ônibus, mas aumentou bastante os prognósticos para as compras de comerciais leves e caminhões.

Para Alarico Assumpção Jr., presidente da Fenabrave, o setor enfrenta hoje “possivelmente o ponto mais crítico dessa crise de abastecimento de veículos” e só no começo de 2022 haverá maior clareza sobre quando será normalizado o fornecimento de semicondutores para que as fábricas retomem a produção em níveis suficientes para atender a demanda. Contudo, o dirigente admite que a escassez de componentes já comprometeu o resultado esperado para 2021, a projeção anterior não pode mais ser atingida. 

Automóveis, o maior problema

O segmento que apresenta o maior problema de paralisações de fábricas por falta de semicondutores, e que por consequência está puxando o mercado e as previsões para baixo, é o de automóveis, que atualmente representa 73% das vendas de veículos no País e teve em setembro o pior mês do ano, com apenas 109.077 emplacamentos, resultado quase 9% inferior ao de agosto e expressivos 32% abaixo de setembro de 2020, quando o setor ainda começava a se recuperar da crise trazida pela primeira onda da pandemia de coronavírus no Brasil, mas já conseguia operar em níveis de vendas superiores aos de agora. 
Com isso, a Fenabrave, que esperava pela venda de 1,78 milhão de automóveis em 2021, rebaixou sua expectativa em mais de 200 mil unidades, para 1,58 milhão, o que irá representar queda de 2,2% sobre 2020. De janeiro a setembro os emplacamentos de carros somaram 1,15 milhão de unidades, ainda em alta de 7,6% sobre o mesmo período do ano passado.

O subsegmento de veículos leves representado por modelos utilitários, ou comerciais leves, também enfrenta problemas e o desempenho mensal do foi negativo em setembro, com 33.777 emplacamentos, revelando queda de 14% ante agosto e retração de 11,7% sobre o mesmo mês de 2020. Mas na soma de nove meses a performance está bastante acima da média do mercado, com 313,3 mil picapes e vans vendidas, o que corresponde a uma aquecida alta de 40% na comparação com idêntico intervalo do ano passado.
Com esse crescimento ainda folgado sobre 2020, a Fenabrave reajustou para cima sua previsão de vendas de comerciais leves este ano, que era de 379,5 mil unidades e alta 13,2% em julho, e agora subiu para 430,5 mil veículos e crescimento expressivo de 28,4%. 
“Com a falta de automóveis, muitos consumidores migraram para os comerciais leves, onde há uma maior disponibilidade de produtos na indústria”, analisa Assumpção Jr., referindo-se especialmente à demanda aumentada por picapes, que são capazes de atender tanto o uso comercial como o de transporte individual e de famílias. 
Na soma dos dois segmentos de veículos leves, com os automóveis puxando o mercado para baixo com seu maior peso numérico, a Fenabrave projeta a venda de pouco mais de 2 milhões de unidades, o que representará tímida alta de apenas 3,1% sobre 2020. No acumulado de nove meses de 2021 foram vendidos 1,47 milhão de carros e utilitários, em crescimento de 13,2% na comparação com o mesmo período do ano passado. 
Fonte: Automotive business
Rua Dr. Pedro Zimmermann, 1001 sala 61 – VALE AUTO SHOPPING
Bairro Salto do Norte – Blumenau-SC CEP: 89065-000
Nossos Telefones : (47) 3144-4722 / (47) 99935-0606
Facebook Youtube
Copyright © 2017 - 2018. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Curto Carros